TAMANDUÁS DO RIO GRANDE DO SUL
O Projeto Tamanduás do Rio Grande do Sul foi criado no ano de 1996 com o objetivo de compilar dados referentes à atual distribuição de tamanduá-mirim (Tamandua tetradactyla) e tamanduá-bandeira (Myrmecophaga tetradactyla) no Estado do Rio Grande do Sul, identificando as principais ameaças a sua conservação. Para isso, foram estabelecidos contatos com pesquisadores, instituições de pesquisa, polícia ambiental, zoológicos, centros de triagem e reabilitação de fauna silvestre e clínicas veterinárias, criando uma rede de informações sobre esses animais no RS. A partir desses contatos, dos dados compilados dos arquivos de instituições e coleta de novas informações foi criado um banco de dados, constantemente atualizado que, quando analisado, gera valiosas informações.
SAIBA MAIS >>
SALMINUS
O dourado (Salminus brasiliensis Cuvier, 1816), é uma espécie piscívora e de grande porte que realiza longas migrações reprodutivas, ocorrendo em toda a bacia hidrográfica do rio da Prata. No rio Uruguai, assim como em outros rios brasileiros, o dourado é uma espécie muito procurada por pescadores profissionais e amadores. Por causa da pesca intensiva, em 2002 o Dourado foi considerado uma espécie vulnerável no estado do Rio Grande do Sul, tendo sua pesca proibida. Impactos sobre o seu habitat causam grandes preocupações, principalmente o barramento dos rios, que impedem seu deslocamento, possivelmente dividindo e isolando as populações naturais dessa espécie, causando assim forte impacto na variabilidade genética desses peixes, podendo contribuir efetivamente para o surgimento de populações isoladas com constituição genética divergente e, em alguns casos, na extinção local de populações pouco viáveis geneticamente. Devido a grande importância ecológica e econômica que o dourado possui e levando em conta o cenário atual de fragmentação dos rios da bacia do Uruguai, o PROJETO SALMINUS busca desenvolver um estudo de genética de populações afim de avaliar através de métodos eficientes e objetivos os efeitos da fragmentação da instalação das barragens sobre a variabilidade genética das populações naturais dessa espécie e, a partir desses resultados, propor medidas e estratégias de conservação para o dourado na bacia do rio Uruguai, gerando um efeito positivo sobre a comunidade aquática da região. Através do uso de marcadores molecular microssatélites, o PROJETO SALMINUS tem por finalidade caracterizar geneticamente e opulacionalmente o dourado, Salminus brasiliensis, que ocorre na bacia hidrográfica do rio Uruguai. A partir dessas informações pretendem-se identificar corretamente as populações naturais, quais estão vulneráveis aos impactos previstos, verificando como ocorrem as relações entre essas populações, podendo avaliar os riscos de extinções locais, bem como auxiliar nas proposições de estratégias para a conservação e manejo dessa importante espécie de peixe tropical.
SAIBA MAIS >>
NATURALISTAS DA REGIÃO SUL
O projeto busca resgatar informações publicadas por naturalistas estrangeiros que atuaram no Rio Grande do Sul e deixaram relatos de seus achados em língua estrangeira ou em periódicos científicos de difícil acesso, através da tradução de suas obras. Além de resgatar um conjunto importante de informações históricas sobre a situação da fauna e da flora do Estado durante os primórdios de sua ocupação, o projeto também tem por objetivo prestar um tributo a esses naturalistas, que tiveram grande relevância para a construção do conhecimento científico do Rio Grande do Sul, mas cuja obra ainda permanece pouco conhecida do público em geral e da comunidade científica.
SAIBA MAIS >>
1º WORKSHOP REGIONAL SOBRE RECEPÇÃO, TRIAGEM E DESTINAÇÃO DA FAUNA SILVESTRE
SAIBA MAIS >>
theris@theris.org.br